PRÁXIS Reflexão e Debate sobre Trabalho e Sindicalismo
Sindicalismo, Direitos Laborais...
AS MULHERES E A REFORMA EM FRANÇA

AS MULHERES E A REFORMA EM FRANÇA

de Patrick THOMET Diretor de Projeto na Malakoff Humanis – publicado em LinkedIn

Partilhar

As mulheres estão a perder nas pensões em comparação com os homens? 

Tudo depende daquilo de que estamos a falar! 

 👎 Se falamos de montantes de pensões, ainda existe infelizmente um fosso significativo de quase 40% entre homens e mulheres, mesmo que este fosso tenha tendência a diminuir ano após ano. É “apenas” um terço para a geração de 1953 e se tivermos em conta as reversões, o fosso global é de apenas um quarto. 

 

👍 Se falarmos do tempo passado na reforma, as mulheres, apesar de entrarem na reforma mais tarde (7 meses hoje em dia mas o fosso está a diminuir e para a geração de 1975 os homens sairão depois das mulheres), beneficiarão dele mais 4 anos do que os homens com uma duração média na reforma de 27 anos e 10 meses para a geração de 1953, ou seja, a duração mais longa da reforma dos países da OCDE, estando apenas a Espanha à nossa frente. 

 

🤜 A redução das desigualdades em matéria de pensões será conseguida principalmente através da redução das diferenças salariais para posições equivalentes, do aumento dos salários de certas profissões altamente feminizadas, do aumento da taxa de actividade das mulheres (menos trabalho a tempo parcial) e de uma maior representação das mulheres em posições de gestão nas empresas.t para os controlos de saúde caíram no mesmo dia.

AS MULHERES E A REFORMA EM FRANÇA

AS MULHERES E A REFORMA EM FRANÇA

Partilhar

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Lear mais..